Cartilha produzida por alunas da UEA traz orientações para estabilização econômica de micro e pequenas empresas após a pandemia

Cartilha produzida por alunas da UEA traz orientações para estabilização econômica de micro e pequenas empresas após a pandemia

Diante o cenário econômico causado pela pandemia do novo coronavírus um grupo de acadêmicas do Curso de Administração da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), pensando nos pequenos empreendedores produziu a Cartilha de Medidas de Estabilização Econômica para Micro e Pequenas Empresas, a publicação traz um norte para as micro e pequenas empresas, com orientações sobre o que fazer em tempos pós-crise causada pela pandemia. 

O Conselho Regional de Administração do Amazonas apoia a iniciativa dos alunas de Administração da UEA  e disponibiliza digitalmente o material produzido em seu Portal (www.craam.org.br).

Boa leitura!

Apresentação:

Diante a pandemia do coronavírus, o Governo do Amazonas viu a necessidade de fechar o comércio de serviços não essenciais a fim de que pudesse assim diminuir a circulação das pessoas nas ruas, e com isso, reduzir a taxa de infectados no estado.

Logo nos primeiros dias do decreto, pequenos empresários já sentiam o impacto com a decisão governamental de manterem seus estabelecimentos fechados. Por sua vez, não havendo faturamento, surge o principal questionamento: como pagar os funcionários e como mantê-los empregados, visto que não há uma data prevista para a reabertura do comércio?

Segundo o presidente da Câmara Dirigente dos Lojistas de Manaus (CDL-Manaus), Ralph Assayag, a queda nas vendas já está em torno de 25% a 35%, o que pode gerar um cenário com até cinco mil desempregados no setor, se a situação piorar.

O comportamento social em tempos de pandemia também é importante. Ainda que shopping centers e lojas do centro de Manaus permaneçam fechados, em algumas zonas da cidade a população segue sem se preocupar com a propagação do vírus, sendo possível ver vários estabelecimentos abertos e funcionários trabalhando sem os cuidados necessários para evitar o coronavírus.

Porém, considerando a perspectiva dos empresários, os estabelecimentos não podem continuar com as porta fechadas, caso contrário, ocorrerão demissões em massa. Já para os empregados, que precisam do trabalho para o sustento da família, necessitam trabalhar conforme determinação da empresa.

No entanto, vale ressaltar que os impactos econômicos desta crise se estenderão mesmo após a pandemia ter sido controlada. Neste sentido, é imprescindível que gestores públicos de grandes cidades, como Manaus, possam planejar ações que mitigarão esses impactos no futuro.

É com este objetivo que esta Cartilha de Medidas de Estabilização Econômica para Micro e Pequenas Empresas foi elaborada.

 

 Disciplina Gestão de Cidades – Curso de Administração da UEA